Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Créditos

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Créditos

18
Dez10

O novo truque de crédito sem juros, é Comprar e devolver a seguir....

adm

Fazer uma compra com cartão de crédito, devolver o produto no dia seguinte e receber o dinheiro da devolução em cash é o novo truque para obter empréstimos sem juros.

O esquema é simples. Começa por fazer-se uma compra, com cartão de crédito, numa grande superfície comercial, por exemplo, e no dia seguinte vai-se devolver o produto. Nesta altura, o vendedor dá, em dinheiro, o valor que na véspera foi debitado no cartão.

O valor total da compra só será debitado na conta no mês seguinte. Assim, o consumidor consegue um empréstimo sem pagar juros, obtendo de imediato o valor de que necessita.

Esta possibilidade abarca quase todos os produtos disponíveis na cadeia do Continente, presente em quase todo o país. Basta não ultrapassar o prazo de 15 dias (correntes) para fazer a devolução.

Electrodomésticos e roupas são, no entanto, os objectos mais utilizados no esquema. «Já fiz isso várias vezes na loja de roupa do Modelo», conta ao SOL Mariana, de 37 anos.

A residir em Estremoz, e sem grande hábito de utilização do cartão de crédito, excepto nestas situações, esta funcionária pública recorre ao método sempre que necessita de dinheiro-extra, como é o caso do Natal. «Assim, evito, por um lado, pedir emprestado a alguém, e, por outro, pedir crédito aos bancos», congratula-se.«Ninguém sai a perder».

É precisamente isso que vai fazer neste Natal. «A família cresceu. Preciso de, pelo menos, mais 250 euros». Vai gastá-los em roupa, conta. «Compro sobretudo roupa de criança. Assim, posso argumentar que experimentei e não servia».

Outro método utilizado pela também jovem mãe é a compra de pequenos electrodomésticos, fáceis de transportar.

fonte:sol.sapo

16
Dez10

Crédito para empresas é «essencial para exportações»

adm

O crédito às empresas é essencial para que as exportações continuem a crescer, numa altura em que o Estado não tem margem para aumentar os incentivos fiscais, disseram à Lusa o empresário Henrique Neto e o presidente da AICEP, Basílio Horta.

«As empresas exportadoras portuguesas não têm recursos financeiros próprios e estão a trabalhar no limite da rentabilidade. Se por qualquer razão o sistema financeiro reduzir o financiamento muitas vão à falência», disse Henrique Neto.

Para o histórico socialista a liquidez é essencial quando a maioria das 18 mil empresas exportadoras são pequenas e médias empresas (PME) que estão «a lutar pela sobrevivência».

Também para o presidente da AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Basílio Horta, o «crédito» é um dos elementos estruturantes que pode ajudar as empresas a aumentar as exportações.

O Governo aprovou esta quarta-feira, em Conselho de Ministros, um programa Simplex para as empresas exportadoras, com novos incentivos e reforço das linhas de crédito. 

«Corte no IRC é impossível»

Quanto aos incentivos fiscais, Basílio Horta lembra que «numa altura de controlo do défice orçamental, é preciso ter cuidado porque não podemos diminuir a receita fiscal». 

Isto porque, neste momento, «não é possível aguentar» políticas fiscais como a redução de IRC.

Ainda assim, Basílio Horta tem uma posição mais optimista, recordando que Portugal tem feito grandes progressos no sector exportador: «Este ano, 2,7% do crescimento do PIB deve-se às exportações. Se a construção civil e as obras públicas não tivessem tido um desempenho negativo, embora atenuado, nós teríamos até agora um crescimento superior a 2,5% e isto assenta obviamente nas exportações».

fonte:agenciafinanceira

15
Dez10

Crédito ao consumo com juros mais elevados

adm

Os juros nos contratos de crédito ao consumo serão mais elevados a partir de Janeiro.

O Banco de Portugal fixou as taxas máximas que as instituições financeiras poderão aplicar nos vários tipos de crédito aos particulares, para o primeiro trimestre de 2011 e mostram que os limites estão mais altos, quando comparados com o trimestre anterior. Os juros no crédito pessoal por motivos de saúde, financiamento de educação e investimento em energias renováveis, aumentou de 5,4 por cento para 5,8 por cento. Já quem contrair outro tipo de créditos pessoais, poderá estar sujeito ao pagamento de juros até 19,2 por cento. Quanto aos cartões de crédito, utilização de descobertos em contas correntes, as taxas máximas vão até aos 33,2 por cento. Por outro lado, as taxas de juro cobradas pelo crédito automóvel de viaturas usadas, baixou de 15,1 por cento para 15 por cento, e quem solicita um crédito para comprar um carro novo, fica sujeito a juros 11,4 por cento.

fonte:saldopositivo

14
Dez10

BES lança linha de crédito bonificado para apoiar vítimas de tornado

adm

O Banco Espírito Santo vai lançar um conjunto de linhas de crédito bonificado, no total de 500 mil euros, para apoiar as vítimas do fenómeno atmosférico que ocorreu no passado dia 7 de Dezembro nos concelhos de Tomar, Sertã e Ferreira do Zêzere.

«O banco associa-se, desta forma, ao esforço de recuperação e reconstrução necessários naquela região do País na sequência do tornado que provocou prejuízos e danos estimados em vários milhões de euros», explica o BES em comunicado. 

Esta linha de crédito com spread zero, e um máximo individual de 25 mil euros, destina-se à recuperação dos bens, móveis e imóveis atingidos. Tem um prazo total de 12 anos e 2 anos de carência, e será concedida mediante protocolo a estabelecer entre o banco e cada um dos municípios afectados.

fonte:agenciafinanceira

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D