Terça-feira, 13 de Março de 2012
Endividado? Saiba como começar a mudar de vida

Os portugueses (quer seja o Estado, as empresas ou as famílias) atingiram níveis de endividamento insustentáveis. Existindo tanta dívida numa economia pouco competitiva como a nossa, torna-se essencial uma mudança de comportamentos e um foco claro em viver de acordo com os nossos rendimentos e possibilidades.

Mas hoje em dia, falar é fácil. As famílias já estão em situações muito complicadas, situações que se agravam ainda mais com a subida dos níveis de desemprego e com os cortes observados ao nível dos salários, dos subsídios de férias e de Natal, da redução das isenções e deduções fiscais. Enfim, uma situação explosiva.

O que devem fazer as famílias?

Não existem soluções fáceis ou milagrosas. Temos de estar conscientes que o problema é grave e exige medidas sérias de atuação. 

Em primeiro lugar, temos de identificar claramente as dívidas. Muitas famílias não têm a noção exata do número de créditos e das suas caraterísticas. Para sair de um problema, é preciso identificá-lo. No caso dos créditos, a sugestão passa por identificar quatro componentes:

- Finalidade do Crédito;
- Montante em Dívida;
- Prazo;
- Taxa de Juro.

Em segundo lugar, a família deverá unir-se e falar sobre o problema. Marido e mulher têm de estar alinhados no esforço e encontrar formas de libertar fundos para a redução das dívidas. Neste ponto, fica um alerta para o facto de que muitas vezes um dos cônjuges contrai um crédito e o outro não tem conhecimento. E isso é um perigo.

Em terceiro lugar, é fundamental que a família construa o seu orçamento e seja exigente no que à poupança/desendividamento diz respeito. Todos os cêntimos contam quando falamos de créditos com taxas de 15%-20% ou mais.

Finalmente, tendo feita a identificação dos créditos pelas quatro categorias anteriormente referidas, deveremos alinhar os créditos colocando no topo aquele com a taxa de juro maior. Esse deverá ser o primeiro a ser eliminado. Pode parecer evidente, já que é o mais caro, mas na realidade muitas famílias optam por eliminar o crédito cujo montante seja mais baixo. Em termos psicológicos faz sentido, embora implique um pagamento de mais juros.

Assim, importa alinhar os vários créditos e determinar o pagamento mínimo obrigatório. Isto é especialmente válido nos cartões de crédito. A ideia é pagarmos o mínimo em todos os créditos menos naquele com a taxa mais elevada. Nesse, iremos sempre pagar o máximo possível. Numa primeira fase o esforço será maior, mas com o passar do tempo o valor em
dívida será inferior, pelo que os juros irão também reduzir.

Tendo pago o primeiro crédito, seguimos para o segundo e assim sucessivamente. Assim, evitamos cair no erro de, tendo pago um crédito, fazer outro de seguida ou gastar o dinheiro simplesmente porque nos sentimos mais ricos.

Uma segunda estratégia

A segunda alternativa é falarmos com o gestor do banco eprocurar formas de renegociar os nossos créditos

Temos de ter a noção que o principal interessado em receber o dinheiro é o banco, pelo que poderá existir abertura para encontrar soluções. No entanto, temos de nos mostrar disponíveis para fazer sacrifícios e mostrar um plano válido e credível.

As negociações poderão passar pela redução do spread (o que é difícil), pela atribuição de um período de carência (situação em que pagamos apenas juros durante um determinado período), ou até aumentar o prazo do empréstimo.

Finalmente, em caso de não conseguirmos pagar a totalidade das prestações, temos de fazer face ao que conseguirmos. O objetivo será demonstrar que temos interesse em pagar. Adicionalmente, isso permite-nos pagar menos juros de mora pelos atrasos.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/



publicado por adm às 22:38
link do post | comentar | favorito

.pesquisar
 
.posts recentes

. Crédito com incidentes ba...

. Bancos encolhem "spreads"...

. Banco de Portugal define ...

. Crédito ao consumo cresce...

. Malparado das famílias e ...

. Cofidis expande negócio d...

. Crédito ao consumo atinge...

. Saiba qual o crédito cert...

. Cinco conselhos para enco...

. Concessão de crédito ao c...

.arquivos

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Janeiro 2016

. Outubro 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Abril 2010

.links
.subscrever feeds
.tags

. 10 dicas

. 7 regras de ouro do crédito

. acesso a crédito mais baixo

. açores

. actualidade

. agricultores

. agricultura

. alunos

. amortizar créditos

. amortizar empréstimos

. atualidade

. bancos

. bcp

. caixa geral de depósitos

. carência

. cartão de crédito

. cartões

. cartões de crédito

. cgd

. cheques

. cofidis

. comissão

. comissões

. como obter microcrédito?

. credito

. crédito

. crédito a 90 anos

. crédito ao consumo

. crédito automóvel

. crédito bonificado

. crédito com incidentes bancários

. crédito especializado

. crédito habitação

. credito habitação

. credito mal parado

. crédito malparado

. crédito para comprar material escolar

. crédito para empresas

. crédito pessoal

. créditos para estudar

. créditos pessoais

. crise

. ctt

. curiosidades

. deco

. dicas

. diferimento de capital

. dinheiro

. empréstimo

. empréstimos

. espanha

. europa

. férias

. ferias

. fiadores

. financiamento automovel

. juntar os seus créditos

. juros

. leaseplan

. leasing

. linhas de financiamento ao dispor das em

. mediação do crédito

. mediador do crédito

. microcrédito

. noticias

. novas regras para renegociar créditos

. portugal

. prestação

. prestações do crédito à habitação

. renegociação dos créditos

. seguros

. sobreendividamento

. spreads

. taegs

. taxa de juros

. taxas euribor

. vida

. visa

. todas as tags