Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Créditos

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Créditos

19
Jun12

Famílias falham pagamentos de 800 milhões de euros

adm

Débitos directos recusados por falta de provisões sobem 11,5% no primeiro quadrimestre de 2012 face ao período homólogo.

Foram vários os líderes e responsáveis que avisaram que 2012 não seria um ano fácil. Os números macroeconómicos também não deixavam muita margem para dúvidas. No entanto, as famílias portuguesas estão a dar provas de que o ano não está apenas a ser difícil, mas sim a obrigar à maior prova de resistência desde, provavelmente, a Grande Depressão, já lá vai quase um século - e na altura Portugal nem sofreu particularmente com ela.

Segundo dados do Banco de Portugal, nos primeiros quatro meses do ano foram rejeitados 847 milhões de euros em débitos directos, mais 103 milhões do que em igual período do ano passado. Do valor total, 92,6% das recusas de pagamento deveu-se a falta de provisões. Ou seja, contas feitas e 784,3 milhões de euros de compromissos não foram pagos porque não havia saldo disponível para tal nas contas das famílias portuguesas.

Entre Janeiro e Abril do ano passado o valor de débitos directos rejeitados por falta de provisões foi de menos 11,5%, não atingindo os 700 milhões de euros. Uma evolução que mostra que, para além dos créditos de valor elevado - como o crédito à habitação- as famílias estão também a perder a capacidade de fazer face a despesas básicas, como é o caso da s contas da electricidade, da água e do gás. Aliás, dados compilados pela central de responsabilidades de crédito mostram que há 123 mil famílias em Portugal que não conseguem pagar créditos até 1.000 euros. E os dados não são mais animadores junto da DECO, que revela que cerca 8% dos pedidos de ajuda feitos pelas famílias portuguesas à instituição se prendem com esta dificuldade de pagamento dos serviços básicos de que uma casa necessita.

fonte:http://economico.sapo.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D