Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Créditos

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Créditos

19
Jul12

Malparado cai nas famílias, recorde nas empresas

adm

O crédito malparado entre as famílias portuguesas caiu, em maio, pela primeira vez em cinco meses. Já entre as empresas continuou a subir, atingindo um novo máximo histórico. 

Segundo o Boletim Estatístico do Banco de Portugal, que vem confirmar os dados preliminares avançados no dia 9 de julho, o crédito de cobrança duvidosa entre os particulares baixou de 4.975 milhões de euros em abril para 4.838 milhões em maio. Uma diferença de 137 milhões.

Um cenário que se deve a uma queda no incumprimento do crédito à habitação, de 2.212 milhões para 2.108 milhões de euros (104 milhões de euros). O malparado no crédito ao consumo baixou de 1-582 para 1.545 milhões de euros. Já o malparado nos empréstimos para outros fins aumentou ligeiramente, de 1.180 para 1.185 milhões.

O alívio, no balanço final, segue-se assim a quatro meses de aumentos consecutivos. Só entre janeiro e abril, o malparado tinha disparado disparou 2.082 milhões de euros ou 17,6%. Isto juntando empresas e famílias. 

As empresas estão numa situação cada vez mais difícil em termos de incumprimento: o malparado já vai em 9,4 mil milhões de euros, um novo recorde e um aumento considerável face aos 9 mil milhões de malparado contabilizados em abril. 

Para se ter uma ideia do dinheiro que devia entrar nos cofres da banca, mas não entra, as empresas de recuperação de crédito só conseguiram reaver pouco mais de 620 milhões de euros em 2011. O valor representa uma subida de 15% face a 2010, mas é apenas 16% do total que os clientes, sobretudo dos bancos, lhes pediram para recuperar. 

Note-se que foi precisamente o crédito malparado, a par da ausência de grandes negócios e das perdas da dívida soberana, aquilo que levou os bancos portugueses a passar de lucros recorde para pedidos de ajuda ao Estado.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D