Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Créditos

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Créditos

07
Ago12

Crédito aos particulares bate mínimos de sempre

adm

Em Junho, os bancos concederam mais empréstimos, mas a maior parte do dinheiro foi para as grandes empresas.

No mês de Junho, os bancos tornaram-se menos restritivos no que respeita ao financiamento da economia. No total, foram concedidos perto de 4,6 mil milhões de euros em novos empréstimos às empresas e às famílias, segundo dados do Banco de Portugal. Este valor equivale a um acréscimo de 13,23% face ao montante total de novos empréstimos que tinham sido facultados no mês de Maio. É também o valor mais elevado de financiamento desde Março. Contudo, a "abertura dos cordões à bolsa" por parte dos bancos apenas beneficiou as grandes empresas (montantes de crédito acima de 1 milhão de euros). Os restantes segmentos- famílias e pequenas e médias empresas (montantes de crédito até 1 milhão de euros), pelo contrário, viram o total de novos empréstimos cair. No caso das famílias, tratou-se, aliás, do mês em que os bancos lhes emprestaram menos dinheiro.

Do total de empréstimos concedidos em Junho, 4,1 mil milhões de euros destinaram-se às empresas. Isto equivale a uma subida de 17,34%, face aos montantes concedidos em Maio, e de 13,74%, face ao período homólogo. Deste montante, perto de 2,5 mil milhões de euros tiveram como destino as grandes empresas. Face ao mês anterior, este valor corresponde a uma subida de mais de 41% no montante de novo crédito concedido.

Já no que respeita às empresas de menor dimensão, pelo contrário, os novos empréstimos caíram 7,1%, para pouco mais de 1,6 mil milhões de euros. Parte da justificação para a subida dos empréstimos às empresas de maior dimensão poderá relacionar-se com o alívio do custo médio do financiamento. Para esse segmento, os bancos cobraram em Junho um juro médio de 5,06% pelos novos empréstimos, menos 33 pontos base face à taxa de 5,39% que foi aplicada no mês de Maio. Já no caso das pequenas e médias empresas (PME), apesar de também se ter registado um recuo da taxa de juro média, a quebra foi muito menos acentuada. Nesse mês, as PME portuguesas que conseguiram aceder ao financiamento dos bancos pagaram, em média, 7,12%. Esta taxa fica aquém em apenas quatro pontos-base face à taxa cobrada em Maio.

fonte:http://economico.sapo.pt/

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D