Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Créditos

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Créditos

03
Out12

Cartões de débito e crédito custam 37 milhões aos bancos

adm

O presidente da Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição (APED) disse esta quarta-feira que a banca tem com cartões de débito e crédito custos de 37 milhões de euros, mas que os benefícios para o setor são acima dos 400 milhões de euros.

Luís Reis falava na comissão de Economia e Obras Públicas, no âmbito de um conjunto de audições sobre valor das taxas aplicadas nas transações com cartões de débito e crédito, cujos comerciantes acusam de serem elevadas.

Durante a sua audição, Luís Reis citou um estudo do Banco de Portugal, que também já tinha sido citado pela Unicre na mesma comissão, no qual refere que os cartões custam 37 milhões de euros à banca.

Contudo, disse Luís Reis, se forem lidas as «notas de rodapé» do mesmo relatório, verifica-se que os «benefícios que a banca tem nos levantamentos em ATM (multibanco) é de 300 milhões de euros».

Questionado pela Lusa sobre a origem deste benefício, Luis Reis explicou que este valor refere-se à poupança que os bancos têm com o facto do levantamento ser efetuado pelo cliente numa caixa multibanco, ao invés de ser realizado nos balcões, o que comporta um custo com pessoal.

Além disso, «verifica-se que nos custos de cartões de crédito está incluídos os incumprimentos», que considerou estarem inflacionados.

Se forem tidos em conta os juros de mora que os bancos recebem em caso de incumprimento, o valor ascende a 127 milhões.

Ou seja, os bancos «ganham 427 milhões de euros em notas de rodapé», num valor que considerou ser por baixo.

«Os bancos não perdem dinheiro», afirmou, sublinhando que «não há dúvida que não perdem se baixarem» o valor das taxas aplicadas.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/fi

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D