Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Créditos

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Blog destinado a partilhar tudo o que se passa no mundo dos créditos. Os melhores créditos, a melhores taxas de juro, noticias e novidades sobre os créditos.

Créditos

11
Set10

Bancos podem subir ‘spreads’ sem acordo dos clientes

adm

O Banco de Portugal diz que a lei não proíbe que os bancos possam aumentar ‘spreads’ de forma unilateral.

 

Três semanas depois da denúncia da Deco e duas após o questionário do Governo, o Banco de Portugal diz que os bancos podem agravar os ‘spreads' e outros encargos dos contratos de crédito, se as condições de mercado o justificarem e tal possibilidade constar do contrato assinado. Para o regulador, esta cláusula "não é proibida" por Lei e terão de ser os tribunais a decidir se é abusiva.

O regulador pronunciou-se ontem, em comunicado, sobre a introdução por parte de alguns bancos de uma cláusula que lhes concede o direito a alterar unilateralmente a taxa de juros ou o montante de quaisquer outros encargos, desde que correspondam a variações de mercado e sejam comunicadas de imediato ao clientes. A denúncia partiu da Associação de Defesa do Consumidor, que considera esta nova prática abusiva. Uma leitura que também suscitou dúvidas ao Governo. O secretário de Estado da Defesa do Consumidor afirmou estar à espera da decisão do BdP para se pronunciar sobre esta matéria. Fernando Serrasqueiro chegou mesmo a enviar uma carta a questionar o BdP sobre a existência de cláusulas abusivas.

Ontem, o BdP afirmou que esta cláusula "não é proibida pelo regime jurídico das cláusulas contratuais gerais". Além disso, a entidade liderada por Carlos Costa adverte que "compete aos tribunais, nos termos da lei, a apreciação da validade desta ou outras cláusulas e não ao Banco de Portugal".

O regulador adianta ainda que não tem conhecimento de alguma instituição ter accionado a cláusula de alteração unilateral nos contratos de crédito. Mas, ainda assim, adianta que "está a preparar um conjunto de orientações sobre as boas práticas que as instituições de crédito devem acolher e seguir sempre que decidam incluir, em contratos de crédito, aquele tipo de cláusulas".

fonte:economico


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D